O que são as Constelações Familiares?

A Constelação Familiar é um método de ajuda que foi desenvolvido pelo alemão Bert Hellinger. Segundo Bert não temos uma alma, participamos de uma alma. Nossos problemas, destinos e desafios emocionais são encarados de um ponto de vista transgeracional. A dificuldade não resolvida de algum ancestral pode atuar no tempo presente pedindo uma reconciliação. Quando um ancestral nosso não se reconcilia num conflito aquele processo se repete até que o conflito se resolva.

Na Constelação trabalha-se numa ordem oculta para além da consciência capaz de direcionar nossas decisões e nossos destinos. Diante dos olhos da constelação não herdamos apenas os aspectos físicos de nossos ancestrais, herdamos também os aspectos emocionais. Com a coragem de fazer diferente, podemos ampliar nossa percepção na direção da vida rompendo os bloqueios que nos impedem de fluir com leveza e paz.

Na dinâmica das Constelações destaca-se a importância das leis do amor. Sempre que uma das leis são violadas por um sistema um emaranhado energético é criado. As leis do amor são:

  1. vínculo e pertencimento. (o vínculo é eterno porém nem sempre nos sentimos pertencentes)
  2. compensação (equilíbrio entre o dar e o receber)
  3. hierarquia e ordem. (estabelecida pela ordem de chegada)

No respeito dessas leis todos os membros de um sistema devem ser reconhecidos, respeitados, integrados e colocados nos seus devidos lugares para que o amor possa fluir livremente e os emaranhados energéticos se desbloqueiem. Nas palavras de Bert: “Penetrar as Ordens do Amor é sabedoria. Segui-las com amor é humildade.” Um dos pilares dos processos de constelação permeia o respeito desses preceitos que organizam um membro no seu sistema.

Como funcionam os atendimentos?

Os atendimentos podem ser individuais ou coletivos. Quando em grupo você escolhe entre as pessoas da sala representantes para os envolvidos no problema em questão. Diante do sentir dos representantes (que não sabem o seu problema) você consegue trabalhar a questão até chegar numa reconciliação.

Como se explica a efetividade das Constelações Familiares?

A teoria dos campos morfogenéticos é base explicativa do funcionamento das constelações familiares. Foi desenvolvida pelo biólogo inglês Rupert Sheldrake. “Morfo” vem do grego, “morphe”significa forma. Os campos mórficos são estruturas organizadoras invisíveis que propõem uma forma a todos os seres como uma espécie de memória da natureza. São campos de energia que integram vivências e informações das espécies. Sheldrake coloca: “como os campos conhecidos pela Física, eles ligam coisas semelhantes através do espaço, embora, aparentemente, não haja nada entre essas coisas; mas, além disso, eles ligam coisas através do tempo”.  Através de um processo chamado de ”ressonância mórfica” a capacidade de aprendizado de um indivíduo se relaciona com uma memória coletiva dos campos mórficos.

Como as Constelações Familiares atuam?

Através do acesso ao campo mórfico as Constelações transmutam a energia e permitem uma reconciliação dos emaranhados energéticos. Os campos mórficos são portas de entrada para a fluidez das questões que carregamos no presente.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *